ANA recebe reunião do projeto de clima e hidrologia na bacia do Rio São Francisco

  • Imprimir

Encontro em Brasília contou com técnicos da ANA, Funceme, UFC e UnB  

Técnicos da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Agência Nacional de Águas (ANA) e da Universidade de Brasília (UnB) participaram, na quinta-feira, 17 de julho de 2014, de mais uma reunião técnica para o acompanhamento das atividades do projeto “Adaptação do Planejamento e da Operação dos Recursos Hídricos à Variabilidade e Mudanças Climáticas na Bacia Estendida do São Francisco”. O encontro ocorreu na sede da ANA, em Brasília.



Iniciado em 2013, o projeto tem objetivo de identificar os impactos das mudanças climáticas sobre a hidrologia da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, assim como as implicações sobre o processo de alocação de água para o hidrossistema do Rio São Francisco em conjunto com a Bacia do Piranhas-Açu e Região Hidrográfica Jaguaribe Metropolitana.

Na reunião do dia 17 de julho foram discutidos pontos fundamentais como o resultado do relatório de análise de mudanças Climáticas na Bacia do São Francisco e em seus hidrossistemas (Três Marias, Sobradinho, Retiro Baixo e Baixo São Francisco); o estudo de impacto dessas mudanças climáticas nas séries de evapotranspiração potencial, evapotranspiração real e a vazão nas bacias citadas anteriormente; e as melhorias e mudanças que foram implementadas no SIGA (Sistema Integrado para Gerenciamento da Alocação de Água).

A relevância do projeto é fundamentada na dependência que a gestão de recursos hídricos no Semiárido Nordestino tem na variabilidade do clima, especialmente na distribuição espacial e temporal das chuvas. O Nordeste tem 62% de sua área, ou seja, 940.000Km², em região semiárida, no chamado polígono das secas, que envolve nove estados. Esta área lida com o problema crônico da escassez hídrica, com média anual de pluviometria de 800mm.


Fonte: Assessoria de Comunicação da Funceme
21 de julho de 2014